Páginas

14 maio 2022

Textual description of firstImageUrl

A Energia Elétrica 75 Anos (Parte I)

14 maio 2022 0 Comentários

HÁ 75 ANOS COMEÇOU A SER CONSTRUÍDA A CABINA (CABINE) ENTRE A RUA DAS TRASEIRAS E OS "TOURILES" FUNDAMENTAL PARA INAUGURAR EM 1948 A ENERGIA ELÉTRICA/ELETRICIDADE EM MONTALVÃO.


Em 1947, há 75 anos, iniciou-se a construção do edifício, a «cábine» - Posto de Transformação de média para baixa tensão - que seria fundamental para instalar, finalmente, a eletricidade em Montalvão. Ao topo da azinhaga dos "Touriles", que talvez até tenha outro nome pois dizia-se. «Não vás p'la rua da Costa, vai antes p'los estouriles!», em montalvanês.


Fotografia aérea do levantamento efetuado pela RAF (British Royal Air Force) do Reino Unido em todo o território de Portugal, entre maio e agosto de 1947. É visível a terraplenagem onde se construiu a cabina como posto de transformação da energia elétrica



Em 1948, foi finalmente inaugurada a iluminação pública, com a colocação de quinze candeeiros que substituíram os anteriores sete a querosene, acesos às "trindades" e a apagar pelas "matinas" pelo pai do Ti Mané Marques (este remendava sapatos) casado com a Tchá Joana Bechana (uma vida a acartar água para quem a podia pagar) que habitavam uma pequena casa daquelas ao topo da rua da Costa. Iluminar a vida de Montalvão quem pouco tinha para iluminar a sua. Honra a quem soube servir a troco de tão pouco. 

Rua da Barca no entroncamento com as Traseiras, em edifício que já não existe, mas onde se fizeram bodas, como por exemplo em 1959, como a do Zé Belo com a La Salete, filha do Ti Júan Vive (notável pedreiro montalvanense). Ao topo, a Igreja Matriz com a torre Sul (relógio). Quando ainda havia candeeiros públicos a querosene (petróleo) antes da inauguração da iluminação elétrica, em 1948. Este era um dos sete candeeiros que existiam nos arruamentos, em Montalvão


Depois da inauguração da iluminação pública, os montalvanenses foram progressivamente alugando contadores que lentamente foram equipando as casas em Montalvão. A povoação tinha cerca de 1 700 habitantes em 480 habitações, segundo o INE, para apenas a localidade. A população atingira, por volta de 1946, o máximo de habitantes, iniciando-se o declínio a partir daí. 

Recenseamento Geral da População; 1940; INE; A população residente é de 2 672 pessoas, mais 62 que os que estavam presentes em 12 de dezembro de 1940


A curiosidade está em que a energia elétrica/eletricidade foi inaugurada, na sede de concelho, em Nisa, em Fevereiro de 1927, ou seja, chegou a Montalvão praticamente 20 anos depois. Em Nisa o centenário será em 2027, daqui a menos de cinco anos.


Agradecimento à extremosa neta (dr. Maria Alice Rocha) que me fez chegar este convite com quase 100 anos do seu avô Manuel Rocha, um cidadão benemérito de Vila Velha de Ródão


Em 2023, será evocado o ano de 1948, com pormenores acerca da inauguração - há fotografias da Igreja Matriz iluminada - mas antes haverá ainda, talvez durante este ano de 2022, que indicar onde se localizaram os primeiros sete candeeiros públicos, ainda a querosene (petróleo). Que foram sendo colocados antes da energia elétrica, vulgo eletricidade, ser inaugurada, como é óbvio. Nesta fotografia, em baixo, é possível observar que a data é posterior à inauguração da iluminação pública, com um candeeiro a lâmpada elétrica, na empena norte, da Igreja da Misericórdia e um suporte comum de fios elétricos no telhado, de dois edifícios, um deles a casa onde nasceu a minha avó paterna.

Excelente fotografia do dedicado povatche, José Pedro Martins Barata, montalvanense por adopção


Assim se foi construindo Montalvão
0 comentários blogger

Enviar um comentário