Páginas

08 agosto 2020

Textual description of firstImageUrl

Esquembres e Outras Balanças

08 agosto 2020 0 Comentários
EM MONTALVÃO HAVIA QUASE TANTO TIPO DE BALANÇAS COMO PESSOAS!


A balança de equilíbrio mais simples era a que conhecia melhor pois a minha avó materna tinha uma. Os «esquembres» eram uma balança simples. Igual massa (pesos em linguagem popular) num dos pratos indicava quanto pesava o que se colocava no outro prato dos esquembres. 



Atenção: Peso é em linguagem popular o que massa significa em conceito científico. Para facilitar vou utilizar a linguagem popular (peso). Por exemplo, um astronauta tem a mesma massa (peso) na Terra e na Lua mas na Lua é mais leve (quer saber quanto?), ou seja, pesa muito menos. Clicar para perceber a diferença.




A balança mais genial que vi em Montalvão foi a «Balança Romana». Era extraordinário ver uma vara de ferro com meio metro e um pilão de um quilograma pesar com rigor a 250 gramas, porcos, sacas de trigo, grão, favas ou o que lá tivessem dentro, mais cortiça, madeira, um sem número de utilidades. De 250 gramas até 120 quilos e varas com um metro até 200 quilos! "Balança Romana" dizia-me o meu avô paterno. E a pesar ao deslocar o pilão na vara parecia estar a tocar num piano à procura da nota certa, ou seja, peso certo, colocando a vara na horizontal paralela ao chão.



Nos balcões das lojas encontrava-se esta balança de equilíbrio com dois pratos, geralmente de cobre, calibrada, tal como os pesos. De um lado o que se queria pesar e do outro, no outro prato, os pesos (5, 2 e 1 quilograma), mas também de menor grandeza (500, 250 e 125 gramas).


Outra balança que nunca esqueci, até porque na Escola quando foi falada já a conhecia de Montalvão, foi a «Balança Decimal». No estrado colocava-se o que se queria pesar (geralmente sacas de cereal, azeitona, favas, grão-de-bico, feijão, por exemplo) e no prato suspenso, colocava-se o peso. Quando equilibrava o fiel (ponteiro) multiplicava-se por dez. Se os pesos correspondessem a 1 125 gramas (por exemplo um peso de um quilo e outro de 125 gramas) o que estava a ser pesado correspondia a 112,5 quilogramas. 



A «Balança de Mola» também era curiosa e dava para brincar. O meu avô materno tinha uma na carpintaria e com uma corda no gancho até dava para balouçar. Podia era destrambelhar o rigor da balança, mas perdoava-se o mal que fazia pelo bem que sabia.



Balança de balcão já com a preocupação de informar com facilidade os clientes e não obrigar o comerciante ou vendedor a grandes apontamentos. A precisão também é maior.



As balanças para farmácias e laboratórios que pesam substâncias mais leves e em que é necessária muita precisão são derivadas deste sistema ainda que mais pequenas.



As balanças dos ourives que calcorreavam Montalvão eram uma miniatura dos «esquembres» que encantava pois os pesos eram tão pequenos, alguns pareciam tão leves, por isso, temia que um «espojinho» se formasse, fizesse ilusionismo e desaparecessem...



Balança de braços iguais é semelhante aos «esquembres» só que tem um eixo central que a apoia numa superfície plana enquanto os «esquembres» ficam suspensos por uma das mãos.

Assim se foi fazendo Montalvão

NOTA: Leigos sobre o assunto geralmente confundem os conceitos de peso e massa. Contudo ressalva-se que peso e massa são grandezas completamente distintas, apesar de relacionadas. Ao passo que massa (clicar) é uma grandeza que pode ser quantificada, o peso (clicar) é uma grandeza variável conforme a força da gravidade em cada lugar do Planeta ou do Universo.
0 comentários blogger

Enviar um comentário